Nataleluia deste ano terá tradução em libras para surdos e audiodescrição para cegos

As apresentações serão realizadas dias 20, 21, 22 e 25 de dezembro, às 20h, no templo da Primeira Igreja Batista de Curitiba

Mantendo a tradição de inovar a cada ano, o Nataleluia desta vez terá tradução em libras para surdos e audiodescrição para cegos. A iniciativa visa proporcionar mais acessibilidade ao musical, que a cada edição traz uma história diferente, inovando na narrativa, no cenário, figurinos e no uso de tecnologia.

“De Belém para a Cruz” é o tema de 2018. Trata-se de uma alusão ao caminho feito por Jesus, do nascimento à sua morte, fugindo da história tradicional. A produção é da Primeira Igreja Batista de Curitiba e já é realizada há 21 anos, sempre com o envolvimento de centenas de voluntários. Neste ano, são mais de mil pessoas, entre artistas, técnicos e suporte, algumas delas surdas, com deficiências visuais e/ou motoras.

De acordo com o líder do ministério para pessoas com deficiência, da PIB, pastor Adoniran Melo, a ideia é engajar os deficientes em todas as áreas, além de permitir que aproveitem o espetáculo como espectadores também. “Temos a preocupação de engajar os deficientes nas mais diversas áreas, pois todos temos contribuições a dar, independente da dificuldade que possamos ter. Além disso, com a acessibilidade ao espetáculo, queremos mostrar a importância que eles têm na sociedade, garantindo um direito fundamental de qualquer cidadão, que é poder se entreter, curtir um espetáculo, frequentar uma igreja, compreendendo a mensagem da forma que conseguem”, destaca.  

A PIB Curitiba já oferece tradução para libras, ao vivo, em alguns cultos, mas é a primeira vez que a acessibilidade aos surdos e cegos estará disponível também no espetáculo Nataleluia. “Os surdos conseguem compreender mais da história porque enxergam, mas nem todos sabem ler, então traduzir para língua brasileira de sinais é fundamental para que compreendam os textos, as letras das músicas. Já os cegos ouvem a sonoridade do musical, mas ficam sem uma parte que contextualiza a narrativa, os cenários, figurinos, movimentos dos atores, é aí que entra a audiodescrição, narrando esses detalhes”, explica Melo.

Os preparativos para o Nataleluia começam logo que a temporada de apresentações do espetáculo anterior termina. A história é criada, sempre buscando referências contemporâneas, e logo as músicas começam a ser pesquisadas. De acordo com o diretor artístico do espetáculo, Samuel Barros, a narrativa de 2018 trata sobre o significado do Natal nos relacionamentos. “O Nataleluia deste ano conta a história de uma estudante que precisa entender como o nascimento de Jesus pode ajudá-la a lidar com os conflitos familiares. É algo que todos vivenciamos em algum momento, então reflete uma realidade que vale a pena ser discutida, principalmente nesta época de encontro das famílias”, antecipa.

Os ensaios começam sempre no segundo semestre, mas é nesta reta final que aceleram. Tudo precisa estar perfeito, sincronizado, pois são quase 600 pessoas no palco, entre atores, bailarinos, cantores e músicos, e mais de 400 em outras funções. O aparato tecnológico também é grande, com cenários virtuais e vídeos interagindo com os atores e cantores.

O Nataleluia é tão aguardado, que os ingressos esgotam em pouco tempo. O espetáculo atrai, inclusive, pessoas de fora de Curitiba e até de outros estados. Segundo o líder do Ministério de Adoração da PIB Curitiba, pastor Paulo Davi e Silva, o objetivo do espetáculo é fazer a relação entre o significado verdadeiro do Natal e o dia a dia das pessoas, e é por isso que as apresentações estão sempre cheias. “Nós percebemos que poderíamos realizar algo maior e levar a mensagem do Natal de uma maneira mais contemporânea, então saímos da história tradicional do nascimento de Jesus e passamos a mostrar o que isso representa atualmente na vida das pessoas”, destaca.

Os ingressos para assistir ao espetáculo custam R$ 10 e parte dos recursos arrecadados serão destinados para a Associação Batista de Ação Social (ABASC) para a compra de cestas básicas e doação à pessoas em situação de vulnerabilidade.

 

Sobre o Nataleluia

Idealizado no ano de 1997, a ideia do espetáculo era propagar o amor de Jesus Cristo para além dos muros da Igreja. A produção começou pequena, passou por alguns auditórios da cidade até se tornar um musical, de grandes proporções, realizado exclusivamente no templo da PIB. Atualmente são mais de mil voluntários em sua realização, quatro noites de apresentações, com um total de 15 mil espectadores. Com os recursos arrecadados, a ABASC consegue comprar milhares de cestas básicas para atender a centenas de famílias em situação de vulnerabilidade.

Sobre a Primeira Igreja Batista de Curitiba

A PIB Curitiba conta com cerca de 12.000 membros e uma equipe pastoral comprometida e atuante. A visão da igreja é “levar pessoas a um relacionamento intenso com Deus, amar e servir ao próximo, e fazer Jesus conhecido de todos os povos, no poder do Espírito Santo”. A instituição religiosa possui como pastor titular, há 30 anos, Paschoal Piragine Júnior, autor de diversos livros e presidente da ABASC (Associação Batista de Ação Social), entidade responsável pelas atividades humanitárias praticadas pela Igreja.